quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Passado e Futuro...

Por Nana do Manga com Pimenta




"Ter trinta anos é um privilégio da vida:
As crianças tem pouco passado
Os velhos tem pouco futuro
Eu tenho os dois
Passado e futuro"


Toda mulher começa a pensar seriamente quando está prestes a completar trinta anos. 
Por que aos trinta anos você vive a fase do agora ou nunca: "eu preciso ficar famosa, agora ou nunca, eu preciso ter uma casa, agora ou nunca, eu fico acordada vendo o tempo passar, o dia amanhecer e eu fico pensando... Meu Deus, é agora ou nunca!." 

Por isso, decidi fazer um balanço geral da minha vida. Comecei a arrumar o meu principal blog e me sinto lendo aquele velho diário de adolescente, cheio de florzinhas e lembranças de momentos especiais que vivemos a quinze anos atrás.
De repente, não mais que de repente, eu senti que dormi e perdi alguma parte do filme! 
A minha vida mudou completamente e sem pedir permissão.  
Até lembrei da fase do "nem":

Cozinhar? Nem... 
Casar? Nem... 
Morar na mesma cidade que nasci? Nem...
Trocar de emprego e profissão? Nem... 
Ter filhos depois dos 35 anos? Nem...
Viver em crise? Nem... 
Dormir cedo? Nem... 
Cansar de balada? Nem...

Mas estou aqui, fazendo tudo ao contrário do que eu imaginei quando chegasse aos trinta anos.
Hoje em dia, eu cozinho muito bem, estou com o mesmo homem a seis anos, não penso em ter filhos nesse exato momento e eu era louca para ser uma mãe nova, nunca sai da Paulicéia desvairada, durmo todo santo dia as dez horas da noite, não consigo passar da meia noite em qualquer balada, já troquei de emprego e profissão no mínimo umas cinco vezes em dez anos e vivo completamente em crise.
Agora vocês imaginam a minha cara... 
Estou boquiaberta de tudo aquilo que eu imaginei para mim nesse momento tão importante, de tudo aquilo que eu não fiz, o que eu não sou, tudo aquilo que eu fiz e hoje eu sou.
Me arrependo?
Não!
Ok, tem coisas que eu gostaria que fosse de outras maneiras. Mas não são e não quero ficar pensando sobre isso, já que tempo e pensamento é minutos perdidos e não recuperados da minha vida.  Já passou, agora eu preciso apenas continuar a escrever os novos dias. 
Bem, vamos falar de algo que perto dos trinta anos "nem" pensava em fazer e hoje eu amo literalmente colocar a mão na massa.     

Pão Sírio




Ingredientes
2 kg de farinha de trigo (usei 500 gramas)
2 colheres de chá de sal (usei uma pitadinha)
1 colher de sopa de açúcar (usei 1 colher rasa)
30 gramas de fermento (usei 15 gramas)
1/2 litro de água levemente morna (usei quanto basta, até dar ponto na massa)
1 litro de leite (não usei)
2 ovos (usei apenas um)

Modo de Preparo
Desmanche o fermento na água, acrescente os outros ingredientes e bata bem a massa até ficar macia. Faça bolinhas de 70 gramas cada. Cobrir e deixar descansar por 15 minutos.
Abra círculos de 8 cm com um rolo. Deixe crescer por mais 30 à 40 minutos. Assar em forno quente 300º à 400º por 1 à 2 minutos. 
Rende 50 pães. 


Tentei fazer dois pães no forno e não gostei do resultado. 
Então, eu usei outra técnica, que é assar os pães na frigideira anti aderente e sem óleo. Bem, o nosso forno não é adaptado para esse tipo de receita e já tinha visto uma indiana que mora no Brasil, colocar esse tipo de pão direto numa chapa e assa-los. 
Na mosca, o pão ficou igual aos pães que compramos no supermercado e o preço/quantidade vale a pena. Podem fazer sem medo! 

Vídeo e algum trechos do texto são da peça teatral Confissões de Mulheres de 30.

28 comentários:

Criando asas... 11 de fevereiro de 2009 19:14  

Crise dos 30...
Sei bem como é...
E vou te falar uma coisa, esse agora ou nunca dura um tempo! Estou com 32, e nos últimos tempos, faço e refaço balanço, jogo um monte de coisa fora, corro atrás de outras e, principalmente, como você, me assusto com o que eu pensava que seria e o que realmente é! Mas o segredo está em fazer o melhor jogo com as cartas que a vida dá, e esconder algumas na manga, hehe!
Beijos

Isabela Kastrup 11 de fevereiro de 2009 19:14  

Te entendo perfeitamente!! Também estou nessa fase e há uns anos atrás imaginei a minha vida totalmente diferente do que está hoje. Então cansei de fazer planos e pensar tanto no futuro, agora vivo o presente e faço o que tenho que fazer agora sem imaginar muito como será o futuro.
Beijo Beijo Beijo

Nana 11 de fevereiro de 2009 19:27  

Criando Asas
rs Eu imagino que não irá passar e acompanhará até os 50 anos rs, mas como você falou, o segredo é utilizar a melhor carta para fazer a vida.


Isabela, com 28 anos eu me senti vazia e acabei entrando numa loucura que até agora não entendi, mas a minha vida mudou.
Isso mesmo, viver o futuro e o que passa no seu caminho, por que metas muitas vezes não encaixa nessa vida.

Bjss e obrigada meninas

Josi 11 de fevereiro de 2009 20:19  

Bom eu to com 28 e to tentando pensar como a Isabela. Mas que a crise existencial bate de vez enquando ahh com certeza. Exatamente esta, olhar pra tras e olhar pra si e ver coisas melhores, piores, ou que estão longe de acontecer ew ficar feliz com algumas que aconteceram. Como a Isabela disse melhor viver e curtir o presente.
Sobre o pão vou tentar fazer com certeza.
Obrigada pela dica, depois conto como ficou.
BJo

dona perfeitinha 11 de fevereiro de 2009 20:20  

Sempre quis aprender a fazer pão sírio... que delícia!
Talita.

Axly 11 de fevereiro de 2009 21:19  

Ai, ai... E eu nem tinha pensado que já tava quase lá!
Hahahahah...
Mas apesar das coisas complicadas que acontecem, ter 30 é demais.
Kisss^^

Viviane 11 de fevereiro de 2009 21:24  

É como aquele filme "De repente 30", segundo ele teoricamente 30 é a idade do sucesso, exatamente como vc colocou. Também imaginei que seria assim a minha vida, estou com 31 anos que fiz há pouco tempo e, minha vida está totalmente diferente, estou aprendendo a viver cada dia e lógico nunca desistir!
Beijos

Denise 11 de fevereiro de 2009 22:11  

Nana, vc é ótima, consegue postar um texto tão gostoso sobre crise dos 30, e ainda falar sobre pão sírio...
Vou confessar que já passei pela crise dos 30, 35, 40 e cheguei aos 45 anos, livre e solta de todas culpas e muiiiito mais feliz do que era, e ainda me sinto como uma mulher de 30 e poucos, tirando as celulites que aumentaram, digamos, "um pouco", desde então.

Porque o importante mesmo é essa "inquietude" ...sem ela a gente não evolui e não sonha!

Margaret 11 de fevereiro de 2009 22:47  

olha eu de volta, quase perdendo meu status de quem mais postou....
tenho que regularizar isso...rs..
vou me atualizando aos poucos mas nao resisti e li o "prendadas bravas"
da raiva disso neh? pq nao muda a vida ao inves de ficar querendo ser quem nao eh?
depois volto pra ler tudo que perdi...agora é so pra bater o ponto...
beijocas pra todas as prendadas de plantao

Ana Medeiros 11 de fevereiro de 2009 22:53  

Nana, estou com 26 e sou precoce para essa tal crise...Mimata!

edmarpita 12 de fevereiro de 2009 00:20  

Olá, adorei a forma com que vc escreve o seu blog. Aceita uma troca de link?

Patricia 12 de fevereiro de 2009 00:23  

Receita de pão sírio!! eu amo!

:*

fátima 12 de fevereiro de 2009 02:16  

ai, que saudades dos trinta...

bjs

Sinnaia 12 de fevereiro de 2009 07:24  

Agora tenho 33 (quase 34) e tudo de melhor que aconteceu na minha vida eu tinha 30. Fiquei grávida, aos 30, casei, aos 30, minha filha nasceu, e eu com 30. Foi quando eu percebi tudo o que estava fazendo de errado e comecei a fazer o certo. Mesmo morando na mesma cidade em que nasci e trabalhando no mesmo local desde os 11 anos, eu me sinto muito, mas muito feliz e realizada...
Beijos

Chris 12 de fevereiro de 2009 08:49  

hahahaha o video e muito bom e o texto maravilhoso!! Mas tudo e bem verdade ne? Mulheres de 30, sempre mulheres!

bjks

Amábile - Mãe de dois 12 de fevereiro de 2009 09:17  

nem me dei conta ainda que tenho 30e eles já estão acabando...

Lu Brasil 12 de fevereiro de 2009 09:36  

Eu aos 34 pra 35 so tenho um arrependimento, nao ter tido meus filhos aos 27 logo que casei, velha parindo é fodys, adoro seus posts, o Prendadas ganhou muito com a entrada de vcs e a Idala Ana parou de ter que ouvir minha encheçao de saco pedindo post, kaka. Bjs

dona perfeitinha 12 de fevereiro de 2009 10:33  

Oi Nana,
Queria antes ter comentado sobre seu balanço dos 30. Quero te dizer uma coisa... tudo isso que falou que vive... dormir cedo, não aguentar balada pra lá da meia noite, cozinhar, etc... com exceção de morar na mesma cidade que nasceu e do não ter filho... sempre fui assim - a vida inteira! E adoro... até queria morar na minha cidadezinha, mas não tem jeito no momento. E filho vem na hora certa pra cada um. Nunca é cedo ou tarde. Seu texto está lindo. E fico feliz por saber que apesar de não ter planejado tudo isso, é feliz assim.
Beijo grande,
Talita.

Nana 12 de fevereiro de 2009 10:36  

Meninas, o que eu percebo que a crise dos 30 começa na verdade aos 28 rs... a minha começou assim, senti um vazio dentro do peito rs
Percebo que aos trinta tudo muda e irá deixar saudades.
Me falaram que os 40 também é muito bom viu gente!
Obrigada, por ter gostado do pão, do texto e do pitaco da peça teatral.Maravilhosa né, pena que é cara!
Estou muito feliz em escrever aqui e deixar uma marca da gastronomia no Prendadas.

Bjss gente!

Amanda 12 de fevereiro de 2009 11:27  

saudade de ler você, nana! adorei o post, posso colocá-lo no conversa delas (dizendo que foi você quem escreveu)?

Elaine 12 de fevereiro de 2009 11:28  

Nana Nana... e eu tenho tanta coisa prá falar sobre os 30 anos... tanta coisa... dá prá ir tricotando e fazendo pão. No final do papo, teremos pão para uma padaria inteira! Agora é hora do almoço, mais tarde volto prá papear. O post ficou ótimo e essa peça é excelente! Beijos

Srta.Formiga 12 de fevereiro de 2009 15:03  

Amei seu post!!
Tudinho...da crise ao pão!
Vou te contar...eu não tive crise aos 30, eu amei ter 30 anos!!Amava qdo me perguntavam a idade e eu dizia que tinha 30...Aff...tudibom
Mas qdo negócio pega pros 40...tô apavorada!!A crise tá pegando, e olha que faz 2 anos que tô me preparando...metas de trabalho,exercícios, dietas, mudar de apto...etc etc...tudo igualzin aos 30!!Aff, só que com 10 anos a mais!!Pééésa!
Obrigada pela receita, tava querendo mesmo saber com faria o pão sem um tandoor(forno de cerâmica)!vou testar!!
Vc não tem uma boa receita de tortilhas de milho?Tipo doritos?

Nana 12 de fevereiro de 2009 16:53  

Ai gente, vou postar mais falando de mudanças e etc, adorei todos os comentários.
Olha, eu já vi receitas sim, mas ainda não fiz. Vou fazer em casa para testar e se sair bom, eu colocarei aqui.

Obrigada meninas, vamos tricotar mais hehe
bjs

Sabrina Mix 12 de fevereiro de 2009 20:33  

Ai, Nana!

Seriam os 30 a nova adolescência? Estou beirando esta idade e já me sinto cheia de dúvidas e incertezas. Socorro!

Beijos e sucesso!!!

Samantha 13 de fevereiro de 2009 00:18  

Oi Nana,
Amei o post!
Me identifiquei com ele... eu também tenho crises, não sei o que eu quero da vida, mas eu prefiro ter 30 do que 20 ou 25.
beijos

Pri Tescaro 13 de fevereiro de 2009 11:05  

Bem-vinda ao mundo das balzaquianas, minha amiga.

Eu tive a crise dos 30, antes dos 29. Engreçado, né? Terminei um relacionamento, fiquei arrasada e decidi mudar os rumos da minha vida. A decisão foi tão intensa, que em quatro meses mudei de casa, de cidade, de Estado e de estado civil. Conheci o homem da minha vida e estou vivendo ao lado dele, todas as crises possíveis imagináveis.

Não é bom viver com um aperto no peito, mas é bom saber que estamos vivos e precisamos mudar constantemente.

Beijo

Nana 13 de fevereiro de 2009 11:33  

Sabrina, bem isso mesmo hahaha
Me sinto assim, mas agora sei que sou uma mulher de verdade que caminha sozinha.

Samantha, nem eu, o que já levei de pancada na cabeça, agora fiquei espertinha e me sinto mais mulher.

Nossa Pri, a minha crise começou tb antes, mas pegou pesado com os 28 e 29, só que troquei de profissão haha
Quer dizer, até agora está como passa tempo, mas logo logo estarei dentro.

Bjs e obrigada lindas.

MySpace Backgrounds

  © Blogger templates The Professional Template by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP